quinta-feira, 11 de novembro de 2010

QUÊ? PRODUZIDO ASSIM É INTERJEIÇÃO!

Mas, essa "palavrinha" também pode ser pronome, preposição, conjunção e advérbio!

que 1[Do lat. quid.]
Pronome interrogativo.
1.Que espécie de; qual:
Que matéria está você estudando?
Não sei que livro leio;
"Que sombra, que fantasma vem banhado / No doce eflúvio dessa quadra linda?" (Casimiro de Abreu, Obras, p. 180).

2.Que coisa(s):
"Que me dizeis, mestre Ouguet?" (Alexandre Herculano, Lendas e Narrativas, I, p. 253); "Em que cismas, poeta?" (Casimiro de Abreu, Obras, p. 180).

Pronome exclamativo.
3.Que espécie ou feitio de, ou quão estranho, ou grande, ou belo, etc.:
"Meu Deus! que noite negra!" (Castro Alves, Obra Completa, p. 623); "Que torvo olhar! que gesto de demente!" (Antero de Quental, Sonetos, p. 327);
Que sábio, aquele homem!;
Que mulher, meu caro! [Cf. quê.]

Que de. 1. Quanto(s); quanta(s):
"Que de encanto não tem para nós a palavra mãe!" (Dr. J. J. Nunes, Digressões Lexicológicas, p. 53); "Que campina tão bonita, / Que de angélicas cheirosas!" (Junqueira Freire, Obras Póstumas, II, p. 129). [Cf. quede.]

Que nem. 1. Que só, tal qual; como se fosse, do mesmo modo que:
Bonito que nem um artista; Saiu que nem o pai;
"As feras, tímidas que nem cordeiros, acoutavam-se submissas nos povoados." (Rebelo da Silva, Contos e Lendas, p. 27).

Por que. 1. Por que razão, por que motivo:
Se estão noivos, por que não se casam? [Cf. porque, porquê e por quê.]

que2
[Do lat. quem.]
Pronome relativo.
1.Introduz oração subordinada, reproduzindo o sentido de um termo, ou da totalidade de uma oração anterior; não tem, pois, significação própria, e sim representa o seu antecedente:
"Eu sou como a garça triste / Que mora à beira do rio..." (Castro Alves, Poesias Escolhidas, p. 321); "Escrevi páginas de simplicidade e verdade — páginas que, evidentemente, não são memórias de um cão danado" (Otávio de Faria, Novelas da Masmorra, p. 125). [Sin.: o qual, a qual, os quais, as quais. Cf. quê.]

que 3
[Do lat. quid.]
Advérbio.
1.Quão:
Que linda!;
"Os braços ....; oh! os braços! Que bem-feitos!" (Machado de Assis, Quincas Borba, p. 3); "E que doido que eu fui!" (Álvares de Azevedo, Obras Completas, I, p. 325). [Cf. quê.]

que4
Preposição.
1.Exceto, salvo, salvante:
"Entrou [José do Patrocínio, para a Gazeta de Notícias] sem outra recomendação que uns versos que por um amigo dele foram apresentados a Ferreira de Araújo, então já redator principal da folha." (Mário de Alencar, Alguns Escritos, p. 10); "Não queirais dos livros outra unidade que a do seu espírito." (Pontes de Miranda, Obras Literárias, p. 23). [Cf. quê.]

que 5
Conjunção coordenativa aditiva.
1.E: 
"E é razão que se diga tortura a arte de pensar e escrever, porque ela ondula que não corre e tem inflexões súbitas que não linhas certeiras e frias." (João Ribeiro, Páginas de Estética, p. 16); "Passo os dias metido no meu moinho, / E mói que mói saudades e tristezas" (Antônio Nobre, Despedidas, p. 18); "Se ela mandar retirar, que não manda, ofereça quinze por cento em vez dos doze que pagamos." (Graciliano Ramos, Caetés, p. 89). [Cf. quê.]

que 6
Conjunção coordenativa alternativa.
1.Ou:
"Lá longe, perdida na escuridão, uma que outra luz se projetava frágil, imprecisa" (Santos Morais, Menino João, p. 13). [Cf. quê.]

que 7
[Do lat. quam, pelas f. *qua e ca, com redução da vogal.]
Conjunção coordenativa subordinativa comparativa.
1.: "Mais inocente e pura / Que o beija-flor das veigas" (Junqueira Freire, Obras Póstumas, II, p. 121). [Cf. quê.]

que 8
[Do lat. quia.]
Conjunção subordinativa integrante.
1.: "Tu dizes que eu menti?..." (Castro Alves, Obra Completa, p. 122.) [Cf. quê.]

que  9
[Do lat. quam.]
Conjunção subordinativa concessiva.
1.Ainda que; por mais que:
"Talvez que a chuva passe e o tempo mude, / E que não mude, um teto aqui nos cobre!" (Alberto de Oliveira, Poesias, 2a série, p. 300);
Bom que seja o rapaz, não é nenhum santo. [Cf. quê.]

que 10
[Do lat. vulg. quia.]
Conjunção subordinativa causal.
1.Porque, porquanto:
"Mas Xixi Piriá não podia parar. Não podia, que um mundo de gente esperava por ele." (Mário Palmério, Vila dos Confins, p. 13); "— Vamos montar, que os outros não chegam." (Afrânio Peixoto, Maria Bonita, p. 47); "Terei, que o fado adverso me acompanha, / Grandes penas, duríssimos trabalhos." (Goulart de Andrade, Poesias, p. 210). [Cf. quê.]

que  11
[Do lat. quia, pelas f. *qua e ca, com redução da vogal.]
Conjunção subordinativa final.
1.Para que:
"Sim, eu devera comprimir meu peito, / Conter meu coração, que não pulsasse" (Gonçalves Dias, Obras Poéticas, II, p. 160); "— A quem estais carregando, / irmãos das almas, / embrulhado nessa rede? / dizei que eu saiba." (João Cabral de Melo Neto, Duas Águas, p. 174). [Cf. quê.]

que 12
Partícula expletiva.
1.: "Oh! que saudades que tenho / Da aurora da minha vida, / Da minha infância querida / Que os anos não trazem mais!" (Casimiro de Abreu, Obras, p. 93); "Talvez que a chuva passe e o tempo mude" (Alberto de Oliveira, Poesias, 2a série, p. 300); "Erva daninha, que bem que cheiras!" (Conde de Monsaraz, Musa Alentejana, p. 15); "Evidentemente que há cem maneiras de definir romantismo..." (João Gaspar Simões, Liberdade do Espírito, p. 33). [Cf. quê.]

Fonte: Novo Dicionário Eletrônico Aurélio versão 5.11a
          AURÉLIO BUARQUE DE HOLANDA FERREIRA